Primícias

Uma exposição conjunta de Fotografia e Poesia, de Domingos Monteiro e Márcio Lopes, realizada no Hall da Biblioteca José Saramago do Instituto Politécnico de Leiria (IPL) de 15 de Abril a 13 de Maio de 2016.

Poesia e fotografia; a sugestão imagética da palavra e a expressão vocabular no halo em redor da imagem – o verso e o anverso do estado inicial. A primeira emoção e o seu começo. As Primícias.
Para cada uma das dezassete fotografias há um poema. Um
conjunto ordenado de 17 por 17, mas que em nenhum dos pares se
apresenta uma relação funcional e intencional de legenda. A imagem e o poema, juntos, exortam uma relação aberta de complementaridade. É o espectador – com a sua emoção estética
instantânea – que vivencia a relação de continuidade, o nexo, a
combustão coerente que se possa revelar entre a imagem
fotográfica e a poesia; ou o seu inverso.
A captação do instante fotográfico reveste-se da mesma tensão do
instante revelado pelo poema. Ou seja, um e outro, a partir dos seus
meandros próprios, convergem para o espaço original das suas primícias. Eis o sentido desta exposição – duas manifestações
estéticas da arte que, lado a lado, sugerem o início de novas percepções emocionais.


M.L. Continentino
Domingos Monteiro

só; e de pálpebras cerradas
deito a cabeça, detenho-me sem pressa
apareço no que me faz insondável
engulo a saliva e emociono-me
crio uma palavra nova para o que me acontece, e agarro-me
livre, cru e soberano
estou rodeado de agonia entre os dedos
e de um só golpe rasante
escrevo o poema; escondo-me atrás dele


Márcio L. Continentino

Confira a página de divulgação do IPL no link abaixo

This entry was posted in News and tagged , , , , , , .

    Comentários

    Post a Comment

    Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

    *
    *